Bio

1986, Goiânia, Goiás, Brasil
Vive e trabalha no Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Atua com a arte como caminho e experiências intuitivas, ficção, identidade e natureza. Sua prática circula entre fotografia e vídeo, mas também instalações e obras participativas. 

O trabalho de Sallisa foi destaque nas exposições Histórias Feministas: Artistas Após 2000 no Museu de Arte de São Paulo, Masp, 2019; Vaivém, Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro, 2019; Bienal do Barro, Caruaru, 2019; Estratégias do Feminino, Farol Santander, Porto Alegre, 2019; Museu de Arte da Pampulha, 2019; e Dja Guata Porã, MAR, 2017.